Conab prevê queda de 3,5% na soja

Em seu quinto levantamento de acompanhamento da safra, divulgado na semana passada, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) cortou projeções ao volume a ser colhido pelo Estado, que sai de 60,77 milhões de toneladas no documento de janeiro para atuais 59,83 milhões de toneladas (t). 

Se essa revisão de confirmar, o saldo desse ciclo se distancia do recorde obtido no ano passado, safra 2016/17, quando 61,98 milhões t foram colhidas. Na comparação anual haverá queda de 3,5%. E mesmo que haja perdas anuais na oferta, Mato Grosso se manterá como maior produtor nacional de grãos e fibra do País, pelo sétimo ano consecutivo. Dois dos maiores produtores nacional, Paraná e Rio Grande do Sul, têm projeção de queda de 10,2% e 7,8%, respectivamente. No Paraná a previsão é de 36,69 milhões t e para o Rio Grande do Sul, 32,74 milhões t. 

Depois de apontar queda de 1,3% sobre a previsão de soja no mês passado, a Conab ao reavaliar a situação das lavouras transformou a redução em alta e com essa nova estimativa, Mato Grosso pode superar a produção recorde do ciclo passado e somar mais de 30,63 milhões t ante o volume histórico de 30,51 milhões de 2016/17. 

 

 

Na região Centro-Oeste, principal região produtora do país, é esperado apresentar incremento no plantio de 2,8% em relação ao exercício anterior, impulsionado pelo desempenho em Mato Grosso, maior produtor nacional da oleaginosa.  

Compartilhar

Ler a notÍcia completa

Deixe seu comentário