O Brasil adoça o mundo com suas exportações

•Em 2020 o Brasil adoçou a humanidade com suas exportações de açúcar. Foram mais de 30 milhões de toneladas exportadas! O Brasil entrega anualmente 4 Kg de açúcar para cada habitante do planeta, sem contar o fornecimento para o mercado interno.

•No Brasil, o consumo per capita é da ordem de 52 Kg de açúcar por pessoa por ano, contra uma média mundial de 22 Kg. A cana-de-açúcar é uma das principais culturas da economia brasileira. Além de produzir etanol e gerar energia elétrica com o bagaço, ela faz do Brasil o maior produtor e exportador mundial de açúcar.

•Desde os primeiros plantios litorâneos em São Vicente (SP) e em Olinda (PE), no século XVI, a cana-de-açúcar não cessou de expandir-se e está na origem da história portuária de São Paulo. O açúcar produzido pelo pioneiro Engenho de São Jorge dos Erasmos, implantado por Martin Afonso de Souza e seus sócios portugueses e flamengos, começou a ser embarcado nos atracadouros de São Vicente ainda no início do Século XVI. Hoje é um Monumento Nacional, parte de sua estrutura ainda está bem preservada e pode ser visitada.

Também existe um link para uma visita virtual ao Engenho de São Jorge dos Erasmos, em São Vicente: http://www.engenho.prceu.usp.br/

•Por volta de 1630, o Brasil já era o maior produtor mundial. Em 1792, foi inaugurada a Calçada do Lorena entre o planalto paulista e o porto de Santos. A ferrovia ligou São Paulo a Santos a partir de 1867. E o primeiro trecho de cais do Porto de Santos foi inaugurado em 1892. A concessão foi outorgada à Companhia Docas de Santos (à época chamada Gaffrée Guinle & Cia). O foco era a exportação de café e a cana beneficiou-se dessa logística.

Leia mais sobre a história da Cia Docas de Santos no link https://pt.wikipedia.org/wiki/Companhia_Docas_de_Santos

•Ainda nas décadas de 1960 e 1970, a exportação de açúcar representava apenas 2% do total hoje exportado pelo porto de Santos. Isso mudou quando o Estado de São Paulo assumiu a liderança da produção de açúcar, com grandes unidades instaladas na região de Piracicaba e Ribeirão Preto, a partir da segunda metade do século XX. Entre 1980 e 1990, a exportação ultrapassou um milhão de toneladas de açúcar. Em 2020, Santos exportou 20,9 milhões de toneladas. Mais de 50 vezes o patamar das décadas de 60 a 80 do século passado!

•Quase metade (45%) do açúcar embarcado no mundo em 2020 partiu de portos brasileiros. Isso significou US$ 8,7 bilhões arrecadados. O Complexo Portuário da Baixada Santista respondeu por 68% desse volume e é o primeiro no ranking mundial da commodity. A tendência se mantém em 2021 e até provoca disputas por infraestrutura com as exportações de soja

Confira o case logístico no link https://idelt.org.br/periscopio-115-o-acucar-como-um-case-tambem-logistico/.

•O consumo de açúcar continuará a elevar-se devido ao crescimento da população, do poder de compra dos consumidores em diversas regiões do mundo, do consumo de alimentos processados resultante da migração das áreas rurais para as urbanas.

Compartilhar

Deixe seu comentário