Leite com bem-estar e tecnologia


-A produção nacional de leite foi de 33,8 bilhões de litros em 2018, segundo o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produtividade brasileira foi de 069 litros de leite por vaca ao ano, superando, pela primeira vez, os 2 mil litros. Mas ainda estamos longe da produtividade de países como Estados Unidos e Nova Zelândia, que chegam a 3.500 litros por vaca ao ano.

-O manejo adequado das vacas leiteiras, de modo a proporcionar o bem estar animal, tem impacto direto na produtividade. Redução de tempo de curral, oferta de sombra (ou até resfriamento) e água fresca para garantir o conforto térmico, dieta balanceada e higiene na ordenha estão entre as principais medidas com impactos positivos.

-O cuidado com o bem-estar dos bezerros também é importante, sobretudo para reduzir perdas. Medidas como a cura correta de umbigo, a oferta de colostro de boa qualidade, o aleitamento em baldes com bicos e a adoção do desmame progressivo melhoram a saúde e o crescimento dos bezerros, além de reduzir a mortalidade e a necessidade de tratamento com antibióticos.

-A associação da criação de suínos e de vacas leiteiras é uma alternativa adotada por alguns campeões em produtividade. Os dejetos dos suínos e das vacas passam por biodigestores, onde produzem biogás e geram a energia elétrica necessária às atividades de ordenha. Após passar pela biodigestão, a parte líquida dos dejetos é usada para melhorar as pastagens, aumentando a capacidade de carga sem degradação.

-Aplicativos, produtos de startups e cursos à distância ajudam o produtor a se atualizar e melhorar sua gestão do gado leiteiro. É o caso, por exemplo, do Roda da Reprodução 2.0, um aplicativo para gerenciamento de rebanhos leiteiros, através do qual o produtor acompanha o crescimento e o peso das novilhas e bezerras e monitora os estágios produtivos e reprodutivos das vacas.

-Diversas opções tecnológicas e sugestões de atualização estão disponíveis no site da Embrapa Gado de Leite, no link https://www.embrapa.br/gado-de-leite

-A Embrapa também mantém um programa de transferência de tecnologias e capacitação de técnicos em produção leiteira, com excelentes resultados: o Balde Cheio. Criado há 21 anos, o programa está em mais de 200 propriedades em 13 estados brasileiros, contribuindo para transformar fazendas leiteiras não lucrativas em propriedades rentáveis e sustentáveis. Informações sobre o Balde Cheio podem ser obtidas no link: www.embrapa.br/balde-cheio

-Em Minas Gerais, estado responsável por mais de um quarto da produção nacional de leite, os produtores que aderiram ao Balde Cheio alcançaram uma produtividade 5 vezes maior do que a média nacional.

Compartilhar

Deixe seu comentário