Laranja é tudo de bom, da casca ao bagaço


Economia Circular não é apenas reciclar, é transformar subprodutos ou resíduos em produtos de primeira linha, sem perder qualidade e sem desperdícios, com menos emissões de carbono e com economia de recursos naturais, água e energia, gerando novos empregos e novas atividades. Leia mais sobre este conceito no link https://www.ellenmacarthurfoundation.org/pt/economia-circular-1/conceito

- A agroindústria brasileira tem muitos exemplos de Economia Circular, ao converter resíduos em produtos nobres, em larga escala. É o caso da laranja: o Brasil é o principal produtor mundial de laranja, seguido pela China, União Europeia, Estados Unidos e México. A produção brasileira é superior a 1,23 milhão de toneladas por ano e atende à demanda de 76% do mercado mundial de suco concentrado.

- Retirado o suco, sobram cascas e bagaços. Sobram? Não. A lista de subprodutos é extensa. Veja no link: http://www.citrusbr.com/laranjaesuco/?ins=19

- As cascas dão origem a produtos de alto valor agregado, como os óleos essenciais, destinados às indústrias de bebidas, cosméticos, perfumaria, essências aromáticas, produtos de limpeza e outros produtos químicos. Graças às cascas de laranja, o Brasil está entre os quatro maiores produtores mundiais de óleos essenciais, ao lado da Índia, China e Indonésia.

- Das cascas ainda é extraído o terpeno cítrico, um óleo fino, incolor e com leve odor cítrico, obtido da destilação do licor cítrico. É usado como solvente de graxas industriais e em produtos para eliminar maus odores de ambientes fechados. É igualmente empregado nas indústrias de plásticos, como matéria prima na fabricação de resinas sintéticas e adesivos.

- Na natureza, os terpenos estão presentes em uma grande variedade de plantas, às vezes nas cascas dos frutos, como na laranja, às vezes nas resinas das cascas das árvores, como nos pinheiros. São compostos voláteis (hidrocarbonetos), responsáveis pelo agradável “cheiro de mato”. Estão entre os gases naturais que compõem a atmosfera da Terra.

- Os resíduos úmidos do processamento das laranjas (cascas, polpa e sementes) dão origem ao farelo de polpa cítrica. Após secagem e peletização, esse farelo serve de alimentação fibrosa para ruminantes, compondo a ração de ovelhas e bovinos. Em confinamento, o uso de polpa cítrica pode substituir o milho, com custo mais baixo e algumas vantagens do ponto de vista alimentar, sobretudo no caso de animais jovens. Confira no link: https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao/polpa-citrica-pode-substituir-o-milho-na-alimentacao-de-animais-confinados-33016n.aspx

Compartilhar

Deixe seu comentário